LFBR

The Good, The Bad and... The... Reaper?

Página 1 de 4 1, 2, 3, 4  Seguinte





Aventura

Aqui ocorrerá a aventura dos Caçadores Hinata Solaire, Azumi Taiga e Raegar Godheim, a qual não possui narrador definido.

DEV.Reme
DEV.Reme
1.000
Localização : Seul

MENSAGENS

Æther

DINHEIRO
Rank B


_________________



The Good, The Bad and... The... Reaper? TBO2FBd
Começaria o dia me levantando da cama e me espreguiçando de uma vez só, eu tinha tido um sonho bom, onde eu tinha conseguido comprar uma Harley e estava agora andando nela pela rua, igualzinha o Onizuka, sim seria como aqueles pilotos dos animes… Mas no fim era só um sonho, com meus atuais 300 keks… Eu não iria muito longe…

Levantaria e iria para o banheiro onde eu lavaria meu rosto e tomaria uma chuveirada, ligaria o chuveiro para primeiro molhar meu corpo e depois me ensaboaria por completo. E por fim quando tivesse limpado todo o corpo, ligaria de novo o chuveiro para enxaguar tudo. Então era hora do cabelo, usaria shampoo básico e lavaria ele normalmente, depois aplicaria condicionador e um pouco de óleo de coco, pra deixar ele mais sedoso, fazendo uma massagem em movimentos circulares pelo couro cabeludo.

Quando tudo tivesse pronto me enxugaria, e usaria o secador para retirar a umidade dos meus cabelos, indo para o lado de fora enrolada na toalha, onde eu procuraria por Hinata. -Hinaaataaa você ta aí?!? A gente vai tentar ir atrás dos portais hoje?- diria em alto tom enquanto caminharia para a cozinha onde eu procuraria uma garrafa de água na geladeira.

Se tivesse alguma eu tomaria direto no gargalo sem me preocupar muito. Se não eu pegaria um copo, encheria na pia, e tomaria dali mesmo. Depois disso caminharia para meu quarto ouvindo Hinata se ela me respondesse, lá era hora de escolher uma roupa e como estava indo pra um dungeon, vestiria as que costumava usar para parecer realmente uma ninja. Colocaria as luvas, a roupa colada no corpo e a fita amarraria meu cabelo meio que fazendo um rabo de cavalo.

Sim, minha roupa lembraria um pouco de um cosplay, mas realmente era confortável, e era até legal me sentir realmente uma ninja… Isso mesmo, eu poderia praticar meus jutsus, durante a dungeon e mostrar o meu estilo ninja hehehe Tá, eu admito estou mais empolgada do que deveria pra isso. Depois de vestida, iria para a salinha e me sentaria no sofá pegando meu celular e olhando o que teria, caçaria nele informações de portais Rank E e D para ver se algum estava disponível por perto.

Se eu tivesse visto a queda da toalha de Hinata eu teria apenas corado um pouco as bochechas de ver a cena, mas não comentaria nada muito além, afinal deveria ser normal ver aquilo né? É deveria, eu não sei por que eu tinha uma sensação diferente quanto a isso… Seja como for, talvez eu gostasse de corpos como aquele… Não sei bem, pra ser sincera nunca tinha antes parado pra pensar sobre minha sexualidade ou algo assim, as coisas eram mais trabalho e trabalho, definitivamente eu acho ambos bonitos, gosto de homens, mas mulheres são também muito atrativas pra mim… Eu poderia me chamar de confusa? Ou curiosa? Não vinha ao caso, continuaria com meus planos.

Se Hinata estivesse pronta e chegasse por ali eu faria um movimento com as mãos chamando ela.-Vem cá, senta aqui- faria o movimento com a mão do meu lado, convidando ela. Além disso ela poderia ver um sorriso imenso no meu rosto que eu não conseguia disfarçar, meus olhos pareciam estrelas brilhantes de tanta empolgação. -É hora de de decidirmos o nosso destino- diria fazendo uma voz um pouco rouca, uma imitação ruim de um velho sábio, dramático não?

Se ela se jogasse ali, o que me faria provavelmente balançar o que era um pouco incomodo a princípio, dado que eu tava focada no celular, e o movimento apesar de não ter ameaçado ele, o balanão dava a sensação de que ele ia cair… Isso gerava, um gelo inteiro na minha espinha, dado a chance de ocorrer.

As perguntas dela eram estranhas, não vou dizer que eu tivesse pensado sobre essas coisas, pra ser bem direta, eu não sei como faz nada disso. -Olha, é igual eles disseram quando fomos fazer o teste de rank, procura no celular e acha. E bom, eles podem quebrar, mas vai por sua conta e risco, não fui em dungeons logo não faço ideia se tem lugar pra deixar algo como itens.- eu realmente não tinha como saber, era minha primeira dungeon, só dava pra supor coisas.

Mostraria o Celular para Hinata, deixando que ela visse o que eu estava pesquisando, que como eu tinha dito anteriormente eram informações de portais E e D disponíveis para Freelancers.

Histórico:

Posts: 01
Ganhos



Perdas:



Ferimentos:



Senshi
Senshi
G$ 1,000

MENSAGENS

Æther

DINHEIRO
Rank B


_________________
The Good, The Bad and... The... Reaper? OPRHXmz

The Good, The Bad and... The... Reaper? 1d8wg2H




Combate § Status - Hp: 3000/3000 - SP:240/240



Eu teria acabado de acordar, eu até gostaria de dizer que eu tive algum sonho legal, só pra variar e acordar de bom humor mas, sequer me lembrava direito de qualquer coisa além da sensação ruim ao qual senti na boca ao despertar, talvez fosse um sonho em que eu estava brigando? Me perguntei por um momento, antes de eu mesma me responder, que eu já teria descontado muito bem o stress se fosse o caso. - Meh… Pensar demais nunca me levou pra lugar nenhum, vou só me enfiar no banho e é isso.- Eu teria resmungado, indo em direção a  um dos banheiros, já que provavelmente eu teria de sair, era bom que eu estivesse mais arrrumada, dentro do possível.

Não havia problema nenhum que eu me lembrasse com o chuveiro, ainda assim, apenas pra tirar o sentimento ruim de dentro de mim, por pura impaciência teria dito - Vamos logo chuveiro vagabundo!- Era um resmungo sem sentido, gerado pela minha própria demora de achar uma temperatura agradável, mas do momento em que entrei ali e senti o quentinho da água, verdadeiramente deu uma aliviada e eu até suspirava… As vezes eu penso que eu deveria tomar mais cuidado com meu temperamento, mas sempre que eu penso  muito afundo sobre das duas uma… Dor de cabeça ou mais stress, então apenas tomei um banho bem tomado e teria depois pego uma toalha pra me secar e fazer a caminhada até o meu quarto.

Apesar de não ser muito longa, as vezes gerava algumas reações engraçadas, em especial quando eu esquecia da toalha ou coisa do tipo. Quando ouvi a voz de Azumi me perguntar sobre a Dungeon, eu até teria me animado mais, como eu poderia esquecer de algo tão maneiro? Teria sangue, porrada, e ainda iamos ganhar dinheiro por isso! Porra, é foda as vezes ter a inteligência de metade de uma porta. Ainda com a cara meio fechada, teria dito a ela- Acho até que a gente devia ter começado a fazer isso dos portais antes, só preciso me vestir.- Eu teria dito bem empolgada levando as mãos acima  sem me ligar na toalha, gerando uma fatidica queda ao qual eu nem mesmo teria notado até que me avisassem ou eu chegasse ao meu quarto.


The Good, The Bad and... The... Reaper? 23081274c513114f4db4db77bfd84f3b


Teria logo então ido pro meu quarto e se arrumado e só lá eu teria notado que derrubei a toalha em algum momento, algo que me teria feito pensar se Azumi notou ou não por alguns segundos, antes que eu tacasse o foda-se pra isso e só me arrumasse teria vestido só um coletinho com um top, uma calça preta e um tênis esportivo, era  provavelmente o melhor que eu teria pra ir em uma Dungeon, já que era bem confortável o meu visual.

Iria até a sala, procurando pela toalha caída pra botar pra secar direitinho e quando ela  tivesse me chamado, eu teria ido em sua direção, talvez pelo modo de chamar dela se fosse outra pessoa eu só teria vontade de quebrar os dentes mas, o sorriso bonito e o fato de ser ela, teria me desarmado no momento, me fazendo corar levemente, quando pensei sobre. Me jogaria no sofá ao lado dela de maneira descuidada, logo passando  a mão por detrás dela  abaixando a minha postura e me aproximando dizendo -  É bem útil achar essas coisas pelo celular...Por falar nisso… Eu deveria levar o celular? Parece algo que quebraria numa Dungeon…- Teria dito a respondendo enquanto realmente tinha a dúvida, havia muita empolgação em minha voz, eu estava claramente muito animada para ir bater nos bichos.


Eu ficaria então junto dela olhando as opções do que teria por perto, seria bom se tivesse uma janela  de tempo para que pudéssemos nos mover até o local e comprar alguma arma, afinal Azumi é até boa com os punhos mas, eu me dou melhor com armas grandes… Talvez eu devesse pegar novamente um espadão? Ou talvez… Eu mesma fazer? Acabaria me empolgando pensando nas possibilidades, enquanto acompanhei Azumi.

Histórico:

Posts: 01
Ganhos



Perdas:



Ferimentos:






Alipheese
Alipheese
G$ 1,000

MENSAGENS

Æther

DINHEIRO
Rank B


_________________

The Good, The Bad and... The... Reaper? >


what does not kill you make you stronger.
Tank Rank-E
Legendas
FALAS SKILLL

Eu confesso que a primeira vez que vi uma janela de mensagem aberta próximo a meu corpo, tipo aquelas de jogos RPG ou MMORPG, essas paradas aí, me assustei mais que touro quando tem as bolas amarradas. À primeira vista pensei que estava ficando louco, depois pensei que estava surtando e por fim achei que havia sido amaldiçoado. É, mas no fim aquela mensagem permaneceu a minha frente.

Durante meus dias de recuperação, havia notado que ninguém percebia aquela mensagem, até tentei mostrar e ficar conversando com as pessoas do hospital, mas não dava em nada. Após decidir aceitar, enfim, aquele estranho poder foi me imposto condições diariamente. Eu tinha que fazer flexões, fazer abdominais e ainda por cima correr. Parecia que estava voltando aos tempos do colegial. Mas por outro lado, já estava habituado com exercícios desde tempo no exército.

Eu já havia ouvido algumas histórias sobre os poderes mais incomuns entre os caçadores despertos e redespertos. Entretanto, o meu poder realmente era o mais incomum entre tudo que tinha visto e ouvido; não que seja muita coisa né, ser um caçador rank-E não me dão acesso a muita coisa e nem mesmo muita informação. É como meu velho pai dizia: “A vida não é um mar de rosas.”

Após minha saída do serviço militar eu tinha ido em uma Party numa Dungeon um pouco mais forte que o costume, mas só havia ido porque o grupo possuía caçadores fortes, estava mais lá para ajudar na exploração e servir como bagagem do que como Hunter oficial, cômico não?! Todavia, o importante para mim era exercer meu serviço. A merda desandou quando nosso grupo se deparou com um covil duplo e aí pra frente detesto relembrar.

Já tinha ouvido falar dos terrores dos monstros de portais rank A pra cima, mas num portal fraco como aquele existir tamanho poder escondido? Era mesmo tenebroso, e extraordinário por outro lado. Presença capaz de intimidar a todos! Poder capaz de sobrepujar a todos! Orgulho ostentado em seu rosto capaz de anojar a todos! Isso e muito mais aquele ser sentado no trono trazia consigo. Eu quero! Eu quero! Eu quero aquilo!!! Quero me tornar mais forte. Quero ser um símbolo de perigo para esses monstros. Quero me tornar um farol que guia os navios durante a noite mais escura, orientando e guiando os Hunters de nossa Era atual.

Ainda não sei que tipo de poder eu consegui ganhar em troca da chacina do grupo de caçadores além de quase perder minha vida, não que seja incomum para alguém tão fraco quanto eu, na verdade era até bem normal. Mas eu sei que talvez eu possa ter possuindo um despertar duplo, não?! Hahahaha chega ser hilário, qualquer um pensaria isso. Porém, como havia apenas eu sobrevivido e trazido por membros da Bulldozers, que teriam ido para finalizar o portal e apesar de meu relato ter se tornado estranho e perturbador, nada do que havia dito eles tinham encontrado, pois, residia apenas uma sala vazia cheia de pó.

Alguns me chamavam de charlatão, outros de sortudo e assim por diante. Não que eu me importe, mas eu sei o que vi, sei o que senti e sei mais ainda o inferno que passei. Porém, se tudo que passei não me matou, significa que minha vontade prevaleceu. Isso faz eu recordar daquela boa e velha frase de meu pai que ele costumava me dizer quando eu me machucava: “O que não te mata, te fortalece.” É um conceito simples, mas tem razão! Eu estou mais forte, talvez não fisicamente, mas mentalmente e espiritualmente.

Ser um caçador rank-E já era difícil, mas um dos piores de todos era um caminho ainda mais árduo. Não que eu estivesse implorando por um caminho fácil, pois, os portais são perigosos, ardilosos, imprevisíveis e letais, independente do rank, tudo isso reside neles. Claro, eu sou um tank e tomo a linha de frente e me orgulho disso, mas se eu pudesse me tornar mais forte, pudesse ir em portais mais poderosos e ajudar ainda mais as pessoas, isso honraria a vontade de meu pai e certamente minha família.

~ Sonhar faz bem, Gahahahaha. Comentaria enquanto estaria pensativo em minha caminhada pela cidade de Los Angeles. ~ Vou dar uma passada lá na Guilda dos Bulldozers e ver se descubro algo a mais de quando eles me encontraram. Diria em um tom baixo falando comigo mesmo de forma a concordar comigo mesmo. Observava o movimento das pessoas até que enfim viesse a chegar na base dos Bulls.

Tentaria encontrar algum membro ou adentraria se possível. ~ Olá eu gostaria de falar com... Nesse momento viria a esquecer qual nome seria o líder do grupo que teria exterminado o portal. ~ Digo, o cara responsável pela Party no portal que ocorreu uma chacina, sabe aquele portal de rank baixo? Tentaria explicar de forma calma e um tanto sem nexo. Certamente eles teriam ouvido falar. Caso o homem ou membro do grupo viesse a falar comigo, ou me dirigissem até o local, viria a proferir. ~ Boa tarde, não sei se está recordado de mim, mas sou Raegar Godheim, Hunter rank-E que estava no portal e único sobrevivente. Gostaria de saber mais do que encontraram lá quando foram fechar o portal, poderia me falar? Tentaria ser cortes e educado, mesmo sabendo que talvez recebesse uma cara de nojo e palavras ordinárias. Apesar de ter sobrevivido, alguns até mesmo acreditavam que eu havia assassinado todos caçadores, mesmo que muitos riem sobre isso, pois, um rank E matando um Rank B, impossível.

A menos que fosse os tais Rank-Faker, apesar da associação já ter medido meu rank e ter visto que eu ainda continuava mesma coisa, confirmando que eu não era um Rank Faker e muito menos havia obtido um Duplo Despertar. Mas o que eles não sabiam era que... esse tal poder “O Player” havia obtido após conquistar a coroa daquele monstro dentro do covil, só não sabia o que exatamente isso viria a me beneficiar.



Hp : 720
Mp : 240

Objetivos:
Entrar para Guild Bulldozers;
Portal rank-E;
Drop de Item;
Conhecer Aliph e Seishi;
Histórico de Aventura:

Nome do Player ~ Raegar Godheim
Nº de Posts ~ 01
Classe/Sub-Classe ~ Warrior - Tank
Rank ~ E
Perícias ~ Exploração: (+10% de lucro total em dungeons):
• Caça;
• Runas;
• Mineração;
• Armadilhas;
• Monstrologia.

Ganhos ~
~x~

Perdas ~
~x~

Ferimentos~
~x~


Skills:

~x~


ADM.Blindão
ADM.Blindão
G$ 1,000
Localização : Los Angeles, Eua

MENSAGENS

Æther

DINHEIRO
Admin


_________________
The Good, The Bad and... The... Reaper? Va93oAq


Narração ~ Post 1


“_ Bom dia, monstrópolis! Agora seis horas mais cinco minutos na cidade do monstro. A temperatura em torno dos 35ºC, o que é bom pra você que é réptil. E tá pintando um dia para dormir, babar na fronha, roncar ou quem sabe... MALHAR ESSA BANHA CAINDO PRA FORA DA CAMA!"

Sim, é um jeito um tanto quanto esquisito despertar do sono ouvindo Monstros S.A, mas quando você mora em apartamento não é raro se incomodar com a televisão alta do seu vizinho que ficou a noite toda comendo bolinhas de queijo e tomando refrigerante enquanto caía no sono e deixava a programação do canal passando pra todo o prédio ouvir. Bom, se não sabia… Bem-vindo à essa vida!

O ritual matinal de ambas Hinata e Azumi era praticamente o mesmo, pra ser justo, esse é o ritual da maioria das pessoas, mas aposto que se não fosse o fato de cada quarto ter seu próprio banheiro as manhãs seriam bem menos tranquilas, bom… No mínimo mais intensas.

***

A água da garrafa caía do gargalo, errando a boca, direto pra bochecha e consequentemente ombro de Azumi na mesma medida em que a toalha de Hinata, a coitada de Taiga ficava toda molhada com aquela situação, quem poderia culpar? Apesar da inocência aparente Solaire claramente havia feito aquilo na mais pura maldade. Questionamentos sobre a própria existência refletiam em sua mente, confusa? Curiosa? As pessoas mais sábias a chamariam de uma mulher de cultura, afinal de contas; “Tudo que se move, tem mais de 18 anos e capacidade de raciocínio é um alvo”.

Ambas vestidas, uma com uma roupa que claramente estragaria nas Dungeon… Amateurs. E a outra… De ninja? Fckin weeb. De qualquer forma ainda era um pouco pra dungeons, nos fórum e sites de classificados haviam apenas dungeons do dia anterior, e caçadores se gabando de seus feitos na internet, a maioria deles mentirosos, obviamente, aposto que nem caçadores de verdade são. Que desrespeito a profissão! Hmpf! O site no entanto oferecia um app de caçadores, basta entrar com sua Id da associação, pretensão de dungeons e o app notificará caso apareça algo de interessante, isso se Azumi o baixar, é claro, totalmente seguro, de graça e com poucos anúncios nada ofensivos.

“Encontre mulheres casadas na sua região” - Era o que aparecia na tela do celular de Azumi no momento em que ela mostrava o aparelho. Malditos anúncios! Eram como pop-ups infinitos, talvez instalar um add-block não fosse uma má opção, mas o último até que era interessante. - ”Hephaistos: Forja e Arsenal” - Era quase como se… O google estivesse ouvindo a conversa das duas e mostrasse o anúncio na cara de pau. Por outro lado conteúdos daquele tipo não eram incomuns, pra falar a verdade, com a disseminação da cultura dos caçadores, até o Wallmart vendia alguns equipamentos mais pobrezinhos.

*****

Eram 8:00 AM na cidade dos anjos, Reagarcaminhava despreocupado perdido em pensamentos e sonhos distantes, ou quem sabe memórias de um passado próximo. As ruas estavam relativamente calmas, ou melhor, nada fora da curva, carros presos no trânsito, algumas buzinas, pedestres mal educados e filas enormes nas cafeterias, com gente atrasada pro trabalho, estagiários tratados como garotos de pegar café e funcionários que faziam questão de errar o nome de cada cliente na hora de escrever no copo.

O destino de Godheim, no entanto era um pouco diferenciado, enquanto alguns estavam miseráveis indo ao trabalho, o jovem caçador caminhava até a boate com o melhor happy hour da cidade. - “BULLDOZERS” - Aquela placa com o boi de chifres reluzentes ao Sol não só chamava atenção como também impunha respeito, para alguns era engraçado, cá e lá à chamavam de Guilda dos Cornos, mas logo se arrependiam. Sim, uma das maiores guildas do país ficava em uma boate, e enquanto Reagar entrava no local alguns bebuns da noite passada eram expulsos.

A boate estava de luzes acesas, sem festa, sem bebedeira, apenas um monte de caçadores conversando casualmente e se preparando para o trabalho diário. O loiro abordava um homem alto e parrudo, por volta dos 40 anos, falava com intimidade e uma certa agressividade, parecia ser o chefe dali.

- Chacina em um portal baixo? Tu vai ter que ser mais específico garoto isso acontece todo dia nessa cidade. - A conversa do grupo parava pra dar um pouco mais de atenção ao novato, alguns já identificavam quem era esse que se aproximou. - Espera um momento aí… Eu conheço esse teu rostinho franzino… AAAAAAH! Tu é o fracote que a gente salvou outro dia! GAHAHAHA. - Ele virava o rosto gritando pra alguém próximo ao bar. - OOH DONA AMANDA! VEM CÁ VER ESSA FIGURA.

Quem vinha do balcão era uma mulher, extremamente bela mas de expressão séria, usava uma armadura leve que cobria o busto e tinha longos cabelos tão alaranjados que pareciam pegar fogo. Se Raegar estivesse antenado nas notícias sobre caçadores ela já havia aparecido no jornal algumas vezes, Amanda Dudley, uma poderosa caçadora de Rank A, membro do principal grupo de ataque dos Bulldozers e às vezes líder da força de ataque em dungeons inferiores ao Rank A.

Amanda Dudley:
The Good, The Bad and... The... Reaper? 6e96f6b945cfd5d7740e93be57facf5f

- E você é? - Perguntava de forma fria, apesar de já conhecer o homem, afinal de contas, foi ela mesma que o carregou para fora da dungeon em segurança. - Certo, eu me lembro de você, também pedi pra um amigo da Associação me mostrar o relatório do seu testemunho… - Ela nem precisava completar a frase, os relatos de Godheim pareciam loucura à qualquer um.

Amanda precisava testá-lo, queria tirar as próprias conclusões se era um Ranker falso ou não. Elevando sua mana ao máximo que podia direcionou toda a hostilidade ao caçador de Rank E, toda a conversa na boate parou, Reagar se sentia meio mal mas não sabia que era por culpa da mulher, ela estava em um nível superior demais para que ele percebesse, a única coisa que lhe dava um insight era uma mensagem vinda do próprio sistema.

*Plim!

Sistema escreveu:Intenção hostil detectada, convém eliminar a fonte.

Vendo que o caçador de fato não percebia sua mana, ela se acalmava, mudando pra uma atitude mais simpática com Godheim, acreditava nele agora. O sistema mandava outra mensagem.

*Plim!

Sistema escreveu:Deixa pra lá…

Aquela coisa estava zoando com a cara do caçador? De qualquer forma Amanda respondia sua pergunta com sinceridade. - Bom, quando chegamos lá já não havia mais nenhum monstro ou boss, você foi encontrado em uma sala vazia cercado dos corpos dos outros caçadores. O portal já estava fechando então mal tivemos tempo de tirá-lo de lá, foi apenas isso. Não sei o que aconteceu lá mas… Seja lá o que for você é a única testemunha.



DEV.Reme
DEV.Reme
1.000
Localização : Seul

MENSAGENS

Æther

DINHEIRO
Rank B


_________________



The Good, The Bad and... The... Reaper? TBO2FBd


what does not kill you make you stronger.
Tank Rank-E
Legendas
FALAS SKILLL

Havia parado durante meu percurso até a Guild Bulldozers. Sentado em um banco próximo a uma parada, ocupando bastante espaço devo acrescentar, ainda pensava sobre aquele misterioso poder que havia obtido. “O que ele iria me dar?” e “Para que fim ele servia?” Essas frases permaneciam fixadas e não correspondível.

Todavia permanecer parado e pensativo não levaria há lugar algum, o que me restava fazer era ir até a Guilda e tentar obter algumas respostas. Era um tiro no escuro, mas melhor do que nada. Talvez fosse perda de tempo, mas só haveria certeza se me destinasse ir até lá e ouvir diretamente. ~ Certo, certo... para se ordenhar uma vaca é necessário puxar suas tetas. Proferia ao me erguer do assento enquanto relembrava dos tempos em que meu pai vivia fraseando ensinamentos para mim. Por fim, voltaria a caminhar.

Los Angeles era movimentada, mas depois de um tempo você se acostuma. Mas andar pelas ruas da cidade nem sempre era agradável. Não demorou muito para eu chegar na Guilda, ou talvez tivesse distraído e nem notara tempo passar. Enfim, avistava o enorme símbolo da Guilda que me recordava dos tempos em que vivia na fazenda junta da minha família. ~ Cool. Diria ao fazer uma pausa em frente ao estabelecimento e em seguida adentrar no mesmo.

Estranhamente a base de uma das maiores Guildas ficava em uma boate. Não que viesse a ser um problema, mas era bastante peculiar. Obviamente haveria bêbados no local já sendo expulso. Passava pelos mesmo com uma breve observada e ignorava-os.

O recinto parecia conter bastante gente, mas nada de musicas ou strippers, admito que fiquei um tanto decepcionado. Porém, ao mesmo tempo empolgado; parecia uma guilda mais séria do que imaginava. Após abordar um dos homes no local, a resposta do mesmo era bastante clara e nada surpreendente. Por outro lado, sua falta de educação e seu deboche eram diretos. ~ Ei, ei, ei amigo! Pegue leve, a vida de um rank-E não é fácil. Responderia transmitindo um sorriso simpático, apesar da zombaria.

Após o homem chamar outro caçador, talvez querendo me ridicularizar ainda mais, percebia que o Hunter que viria era alguém já conhecido, facilmente reconhecida pela sua aparência como principalmente seu nome; Amanda Dudley. A atraente caçadora perguntava quem eu era, por alguns instantes lhe fintei nos olhos e permaneci em silencio, até que lhe responderia. ~ Raegar Godheim, senhora. As bochechas coradas provavelmente me delatariam, mas ela já deveria estar acostumada com homens aos seus pés, afinal, a beleza é algo que conquista o mundo, não é verdade?!

Mas aquele olhar excessivo, aquela palpitação apaixonada que havia surgido rápido, também viria desaparecer, pois, meu proposito ali não era conquistar mulheres, mas sim descobrir algo sobre o que ocorreu naquela Dungeon e tentar uma vaga como membro. “Um caçador deve caçar, isso sempre foi algo lógico desde os tempos das cavernas.”

A mulher parecia ser um tipo de mandante na guilda, não que fosse surpresa devido seu poder e reputação. Ela dizia me reconhecer e que havia visto meu depoimento. “Fuck!” Pensei comigo ao ouvir o relato da mulher. Eu não possuía culpa de nada, mas da mesma forma que não havia nada me culpando, não havia nada me inocentando também. Apesar dessa balança demonstrar possuir equilíbrio, obviamente um rank-E sobreviver em um local onde até mesmo rank-B haveria morrido, mais teria chance de difamação do que respeito.

Antes que percebesse todo o local havia ficado quieto, o estomago revirava e uma sensação mortal caia sobre meus ombros. Parecia que dúzias de escombros tentavam me por de joelhos e ainda que com muito esforço tentava permanecer de pé. ~ Mas o que está acontecendo? Diria ao sentir a visão turva, os ouvidos latejando e um agouro, um mal presságio talvez? Ahh, eu sei o que é isso! É claro, eu me recordo desse sentimento. Foi então que um vislumbre de memoria ressurgiria em minha mente, eclodindo aquela imagem onipotente daquele maldito monstro da Dungeon de outrora. “Isso é a... morte!”

Aquela sensação de estar prestes a morrer era algo que jamais poderia ser esquecido, principalmente quem já havia passado tantas vezes por ela; como eu. Apesar de ter sido criado por um homem corajoso, ter sido vítima em guerras de Guildas e participado de árduas missões no exército, aquela sensação de estar à beira da morte nunca desapareceu... ela está sempre lá, oculta, furtiva e esperando... esperando o momento certo para vir lhe sugar as forças. No entanto, todas as vezes eu havia sobrepujado ela, havia conquistado minha sobrevivência ao lembrar do que meu pai sempre alertava, ao juntar as forças e ter a convicção de que minha vontade era maior; e sempre será. Talvez por isso ainda esteja vivo e talvez, só talvez, por isso havia conseguido sobreviver naquele maldito portal infernal.

O ar havia desaparecido? Não! Ele estava lá, em abundância como sempre, apenas meu corpo estava rejeitando devido a enorme pressão que me era imposta. Alguns passos para trás faziam-me recuar por alguns instantes, mas ao mesmo tempo permanecia de em pé! Recrutando todas as forças para conquistar meu direito de estar vivo. ~ Háhahaha. Riria enquanto a expressão alegre ocultava a angustia e dor. ~ Eu já senti isso várias vezes! Parece uma cobra esperando fraquejar e assim dar o bote. Diria com uma tonalidade de voz turva, mas ao mesmo tempo agressiva e com esforço.

O suor escorria pela lateral do rosto, pelas mãos e axilas, mas não! Não iria me por de joelhos, terá que levar minha vida e ela não será barata, posso lhe garantir isso. Claro que o pensamento tentava fixar no subconsciente, mas a verdade era que o consciente mais fazia força para permanecer de pé do que qualquer outra coisa.

Quando ecoou um barulho que fez minha consciência se aguçar, notei que era uma mensagem semelhante a uma outra que havia visto outrora. “Eliminar a fonte?” Pensei comigo enquanto tentava entender a situação e só então compreender que era a presença daquela mulher, me desafiando e me testando. “Ahhh... entendo. Isso que é o poder de um caçador rank-A, incrível!” Os olhos de antes quase mortos, sutilmente iam expressando sua cor original, uma intensidade oculta que surgia quando o ímpeto eclodia. Uma sede por poder, uma vontade inabalável de ter aquilo poderiam ser percebidos em meu olhar. Se eu fosse poderoso como ela, poderia ter destruído aquele monstro e salvado há todos. Um poder que sobrepuja tudo a força, isso é algo que se um Hunter possuir, nada é impossível. “Que inveja. Qualquer um gostaria de ter esse nível de poder, não é mesmo?!” A frase permaneceu por alguns instantes enquanto o corpo curvado tentava ficar reto.

Foi então que toda aquela pressão, toda dor, angustia e sobrepeso corporal desapareciam. ~ Sumiu? Viria a retomar meu folego. O coração se acalmava e os batimentos cardíacos desaceleravam. Enquanto isso a mulher viria a falar novamente de forma mais amigável, explicando o que eu já sabia. ~ Entendo. Diria ao limpar o suor do rosto e soltar um leve suspiro de alivio.  ~ Agradeço mesmo assim. Se nem mesmo ela sabia o que havia ocorrido, e nem mesmo ela conseguia ver essa maldita mensagem que parecia ser um tipo de sistema ou algo de autodefesa, então significa que muito provavelmente nem eu saberei, não por enquanto.

A conclusão era lógica; eu havia sobrevivido a algo que nem mesmo essa mulher a minha frente poderia ter encarado. Havia obtido um poder bastante único e peculiar que nem mesmo eu sabia explicar ou compreendia. A única coisa certa era que... esse sistema parecia ser algum tipo de entidade, mecanismo de segurança ou algo do gênero, que estava querendo me proteger e me tornar mais forte; se não por qual motivo haveria exercícios diários e mensagens me alertando sobre minha segurança?! Se isso era uma recompensa daquele portal, provavelmente estava tirando uma com a minha cara.

~ De qualquer jeito, senhorita Dudley, gostaria de saber se posso virar um membro provisório da Guilda? Sei melhor que ninguém que não sou forte como muitos caçadores que cá estão. Mas lhe garanto que poucos tem a minha determinação! Como pode ver... eu ainda estou vivo, e continuarei independente do caminho que seguir. Mas gostaria que a senhora pudesse me dar uma chance de agradecer por ter salvo minha vida e redimir as mortes dos meus aliados. Uma oportunidade para mostrar que sou um Hunter digno de confiança e de fazer parte dos Bulldozers! Falaria com sinceridade, destemor e convicção. Os olhos não fugiriam dos dela, mesmo a diferença clara de poder ser equivalente ao céu e a terra.

O ideal para mim era permanecer sozinho como freelancer, mas se da última vez deu errado, continuar insistindo no erro seria burrice. Preciso de uma base para me estabilizar e ver para qual propósito esse poder novo me levará. Não é como se eu fosse obrigado a ficar para sempre nessa Guilda, mas construir boas relações poderá me ser útil agora e principalmente no futuro. Não é sempre que um caçador rank-E tem sorte de entrar em um grupo com caçadores fortes. E não é sempre que ele tem oportunidade de entrar em uma guilda como uma das melhores do país. Sei que é pedir demais, sei que posso ser ousado e ambicioso, mas meu pai sempre dizia: “Se quer fruta boa, plante uma boa árvore.”

Não havia necessidade de dizer meu rank e minha classe, afinal, ela já sabia muito bem. Claro que me faltava força, mas do que adianta força em um caçador se ele fugir da presa por medo ou pavor. Eu podia enfrentar isso, podia bater de frente contra meus medos e fraquezas. A maior prova disso era aquele monstro que havia matado todo meu grupo, mas ainda sim falhado em tomar minha vida. Sua presença era tão horripilante e poderosa, haveria alguma criatura mais poderosa que aquela gigantesca estatua?! Nem mesmo ela me pôs de joelho, isso posso muito bem me orgulhar.

Se eu não conseguisse entrar na Bulls, seria muito improvável eu conseguir entrar em grupos de caçadores devido minha reputação. Muitos desconfiariam de mim e os que não desconfiassem não iriam arriscar ter-me como aliado e isso geraria nada de oportunidades. A única coisa de útil agora que eu poderia mostrar era minha força de vontade, se ela pudesse apreciar e avaliar isso, talvez eu pudesse ter uma chance de entrar e voltar a ativa. Por outro lado, uma guilda como essa que prioriza os Tank’s, e suas convicções era a oportunidade perfeita para me terem como membro.

Pode parecer egoísmo de minha parte, mas da mesma forma que um massacre como muitos ocorrem nos Portais e matam muitos caçadores, ter alguém que sobreviveu a um deles é algo de valor, ainda que a maior parte seja negativa devido meu rank; de qualquer forma não muda que eu sobrevivi. “Apesar que só consegui isso com a ajuda da caçadora.”



Hp : 720
Mp : 240

Objetivos:
Entrar para Guild Bulldozers;
Portal rank-E;
Drop de Item;
Conhecer Aliph e Seishi;
Histórico de Aventura:

Nome do Player ~ Raegar Godheim
Nº de Posts ~ 02
Classe/Sub-Classe ~ Warrior - Tank
Rank ~ E
Perícias ~ Exploração: (+10% de lucro total em dungeons):
• Caça;
• Runas;
• Mineração;
• Armadilhas;
• Monstrologia.

Ganhos ~
~x~

Perdas ~
~x~

Ferimentos~
~x~


Skills:

~x~




OFF:
mudei cor das falas devido a aliph usar mesma cor hehehe.
ADM.Blindão
ADM.Blindão
G$ 1,000
Localização : Los Angeles, Eua

MENSAGENS

Æther

DINHEIRO
Admin


_________________
The Good, The Bad and... The... Reaper? Va93oAq



Combate § Status - Hp: 360/360 - SP: 600/600



O primeiro passo depois daquilo era? Era? Baixar o aplicativo? Eu começaria por baixar ele e bem, as propagandas eram interessantes, soltaria em voz alta meio sem querer. -Será que isso é de verdade?- com uma carinha seria, enquanto olhava pra a tela, até perceber que aquilo tinha saído alto e começaria a tentar me corrigir. -Digo… Os portais é claro cof cof hehe é os portais…- E como se a situação já não fosse um pouco constrangedora…

Os comentários de Hinata eram cirúrgicos… O que me fariam corar de leve, soltando uma risadinha, falando baixinho só pra mim. -Comer casada? Ela vai ver que que eu vou comer tsc...- Mas tentaria ser baixo o suficiente pra ela não ouvir e se ouvisse eu diria.-Hã que? Eu? Nãaaaao eu não disse nada...- e depois dela pontuar, eu realmente não tinha prestado atenção no nome e pararia pra pensar “HePEITOS” parece um lugar que não é bem uma loja de armas…

Eu voltaria meu rosto rapidamente no aplicativo lendo rapidamente o nome, e notando que era outra coisa falaria.-É parece que não é bem isso não, mas foda-se, vamo lá.- já pronta pegava o dinheiro e enfiava dentro do sutiã, onde ele deveria ficar mais seguro, colocaria o celular no bolso de trás e seguiria para a porta chamando ela com a mão e quando abrisse a porta, olharia para a escada e soltaria aquele arzinho pela boca…

É aquilo, morar do quinto andar tem suas desvantagens…-E lá vamos nós de escadinha… Denovo? Quer me levar não? - Dizia me escorando no ombro dela com carinha de pidona . -É só uma escadinha...

The Good, The Bad and... The... Reaper? Tenor

E só de ouvir a afirmativa, sem nem pensar muito no assunto pularia nas costas dela, encaixando as duas pernas, uma de cada lado da cintura e me prendendo ali, passaria as mãos sobre os ombros onde me seguraria ficando bem encostada, podendo até fazer um pequeno boing com os airbags grudadinhos nas costas dela. -Avante capitã avante, já posso enxergar a vitória do outro lado.- diria apontando pra frente tentando engrossar a voz, para parecer com um pirata mais autêntico, provavelmente falhando na dublagem, mas o que vale é a intenção.

Durante toda a descida iria sempre acompanhando os pulinhos enquanto os melões iriam roçar pressionando ali as costas dela, até o fim da escadaria, enquanto eu iria gritando. -YUUUUUPIIIII!!!- Até quando chegássemos no fim, onde eu desceria das costas dela dando um beijinho na bochecha. -Agora sim, com o primeiro inimigo derrotado, vamos para a próxima batalha- diria já marchando em direção a loja.

Eu iria sempre conferindo no celular o local que era informado, por que mesmo que eu já estivesse a mais de um ano nessa cidade, ela é meio grandinha, e tem uns beco de entra e sai, e enquanto caminhasse em direção da loja iria perguntando. -Mas aí eu tava pensando, a gente podia entrar em uma guilda que acha?-diria me virando de costas pra onde eu estava andando e olhando pra ela enquanto não parava de caminhar colocando as duas mãos atrás da cabeça e erguendo os cotovelos.

Era algo só pra parecer estilosa mesmo, eu não sabia bem porque faziam isso nas coisas que eu assistia… Mas eles faziam… Sei lá. deve dar um ar de confiança ou algo assim… -Tem uma famosa aqui em Los Angeles, eu tinha visto um dia desses, mas se quiser depois de comprarmos as armas podemos olhar isso, digo, deve ser mais fácil ter portais mais seguros sendo parte de guilda ou sei lá.- diria coçando a parte de trás da cabeça e me virando de volta ficando do lado dela e começando a andar normalmente.

Quando chegássemos na loja eu adentraria olhando o que realmente tinha por ali passando a vista pelo lugar inteiro e dizendo-Bom dia, a gente queria ver armas, num preço baixo, pra podermos ir pra dungeons. Tem algo que custe até 300?-diria com empolgação, meus olhos estariam brilhando, quase que como estrelas por tudo aquilo, era uma sensação boa poder dizer isso, era realmente um começo de historia de Anime… Saindo das ruas, das cidades dos anjos, a reaper caminhou pelas vielas com sua fiel companheira para encontrar seu destino… empolgante né? Acho que era assim que um narrador narraria o fim desse episodio? Em? É eu devia anotar isso num caderninho...

Até que eu perdida em pensamentos ouvisse o que Hinata estava falando respondendo com o mais natural. -É oque?- perdendo o foco na minha visão perfeita e épica do momento. -hhehehe liga não ela é meio desconfiada da vida mesmo.- falei dando uma risadinha meio de canto de boca para a atendente.

Histórico:

Posts: 02
Ganhos



Perdas:



Ferimentos:








Última edição por Senshi em 18/7/2020, 23:13, editado 4 vez(es)
Senshi
Senshi
G$ 1,000

MENSAGENS

Æther

DINHEIRO
Rank B


_________________
The Good, The Bad and... The... Reaper? OPRHXmz

The Good, The Bad and... The... Reaper? 1d8wg2H




Combate § Status - Hp: 3000/3000 - SP:240/240



O primeiro anúncio que apareceu na tela de Azumi, era impossível de não rir, afinal quem imaginaria justo ela recebendo isso? Certamente não eu, teria dado umas batidas no próprio joelho enquanto gargalharia bem alto enquanto dizia - Azumi comedora de casadas, quem imaginaria? Kyahahahahahhaha-  era comum que ao expressar  as merdas que passavam na cabeça eu fosse vulgar, mas geralmente azumi das duas uma ou ria junto porque eu sou retardada ou pelo menos mostrava um rosto sem jeito fofo, pra mim? Vitória em todas situações.

Jackpot! Como diriam os gringos daqui, sorriso fofo mais vermelhidão no rosto, tirei a sorte grande! Mexeria o outro braço meio que puxando e soltando ela  enquanto tentaria ali mudar pro outro assunto que me interessava, ela murmurava alguma coisa que pera… Eu ouvi isso direito? - Que que tu murmurou ai guria?- Eu teria dito meio que sentindo um certo calor, certamente eu ouvi errado essa parada ai mas… Porra,  a ideia de que não fosse errado era massa demais… Ah… Postura Hinata, postura. - Ah então… Hepeitos, algo assim, bora passar por lá também?- Eu teria perguntado meio que tentando mudar o assunto mas… Claramente eu entregava onde eu acabei focando o meu olhar depois de ter pensado ouvir algo que ela murmurava.

Pegaria então o dinheiro e colocaria por dentro do top, era de fácil acesso e qualquer engraçado que tentasse fazer algo, levaria consigo um bom recibo de passe para o dentista, de certeza, me levantava bem animada, seguindo-a  não ficando muito atrás, até que olhando para a escada, teria dado uma suspirada, dungeons até eram animadoras mas… Escadas, velho, quem gosta de escadas? Era o meu pensamento até ouvir o que Azumi pedia… Pera eu gosto de escadas… Escadas foram criadas pelo próprio senhor, valeu ai Godinho. - Claro, mas você tem que ficar bem pertinho, certo?- Eu teria dito ruborizada enquanto passava a mão  por debaixo do nariz, com um sorriso besta e pervertido no rosto.

The Good, The Bad and... The... Reaper? SnivelingHighAldabratortoise-small


Então com a súbita aproximação, era inevitável que eu não perdesse por um segundo a concentração e minha postura fodona e acabei soltando um - Kyaa Mais fino do que eu esperei, dando um tapão na própria boca na hora que eu percebia o quanto isso seria vergonhoso, algo que não durou muito já que aquela sensação sobre as costas, teria me dado um novo ideal, um novo motivo para viver aquele dia. Fechei os olhos com um rosto convencido enquanto pensava o ser que inventou as casas é um ser maravilhoso.


The Good, The Bad and... The... Reaper? Tumblr_ncx4fckq9B1tbeq5co1_500


A ajeitei colocando minhas mãos por detrás para que ela não ficasse desconfortável afinal, escadas poderiam balançar bastante. Respondendo bem animada Yargh vamos lá marujo!- Eu diria enquanto muito motivada teria descido as escadas com ela, acho que até o fim eu estaria  me divertindo tanto com aquilo que até teria me esquecido um pouco do porque aquilo era tão legal… Provavelmente era porque ela tava ali comigo ou algo sentimental do tipo hunf…

Ao fim, ainda teria recebido uma recompensa que teria me feito em um primeiro momento  não saber muito bem como reagir e apenas grunhir um pouco , colocando  a mão onde havia recebido o beijinho, com um olhar determinado dizendo em resposta a ela Isso ai! Primeiro  foi o aplicativo, agora comprar uma arma na Hepeitos! Depois a Dungeon! O caminho parece limpo pela frente soldado!- Teria dito engrossando a voz e apoiando a perna sobre um apoio invisível, fazendo a pose  que na minha cabeça era legal, para imprimir a minha determinação.

Então eu iria caminhando ao lado de Azumi, ajudando ela a desviar de pessoas e postes enquanto ela checava no celular as coisas  a segurando por de trás nos ombros para ir guiando direitinho, claro de bueiros e outras paradas nojentas também, L.A é bem mais bonito que nos filmes que na vida real e sério, estragar o dia por algo idiota assim seria filhadaputagem demais de eu permitir acontecer. Quando ela falava sobre a ideia de uma guild e eu pensava sobre aquilo, fazendo um barulho de hm…. Enquanto pensava sobre a ideia - Pow a ideia de uma guild parece maneira, desde que não seja muito chato, parece uma boa ideia, naqueles jogos que você me mostrou, Guildas eram bem maneiras.- Eu comentei pensando na parte divertida mas, quando ela falou sobre segurança, eu teria parado pra pensar que apesar de eu ser resistente feito uma parede, não era legal entrar em um risco que eu não soubesse lidar, uma coisa que a vida me ensinou é… Pelo menos tentar escolher minhas lutas… Não que eu tivesse aprendido muito bem mas… Eu tento.


Entrando na  loja  junto a Azumi, eu logo esperava no mínimo uma ruiva peituda ou algo do tipo a nos atender ou era propaganda enganosa, em especial que também tivesse um tapa-olho e uma assistente loli peituda tipo… Aquele anime lá que ela tinha me mostrado,  mas lá o nome não era bem Hepeitos… Enfim, tentei impressionar a morena ao mostrar meu conhecimento quanto as minhas preferências, enquanto tentava conseguir um bom preço também - Procuro algo bem especifico, eu quero uma espada… Que tipo? Uma grande demais pra ser chamada de espada, gigantesca, pesada e muito grosseira de fato, quase um pedaço massivo de ferro. E ah… Nós vamos pra uma Dungeon Rank E nem vem querer explorar a gente não. Teria dito já franzindo o rosto, enquanto eu teria feito a referência do mangá maneiro do cara putasso do espadão, pow, cara dahora, quero ser igual ele só… Que sem as merdas que rolaram na vida dele… Sacumé… A minha morena eu vou proteger pow. Pera… Que porra eu tou pensando… É influência Hinata… - INFLUÊNCIA eu acabaria pensando alto e então quando me perguntassem do que diabos eu tava falando eu só diria É o que o que? Foco- Diria meio grunhindo para disfarçar o quão bizarro aquilo teria sido.  
     




Histórico:

Posts: 02
Ganhos



Perdas:



Ferimentos:






Alipheese
Alipheese
G$ 1,000

MENSAGENS

Æther

DINHEIRO
Rank B


_________________

The Good, The Bad and... The... Reaper? >


Narração ~ Post 2


Claro claro, pra quê carteiras quando se pode colocar tudo no sutiã? Na verdade, pra que bolsos? Pra que bainhas? Quem sabe não exista até mesmo um sutiã coldre, ou talvez um sutiã bainha! Os monstros nem vão saber de onde veio a arma. Sim sim… Talvez eles vendam isso na HePeitos, combina completamente com o nome e quem sabe pode até ser um produto patenteado da loja. É claro, enquanto os sutiãs multiuso são extremamente convenientes para alguns, também é igualmente incômodo para outros, Imagine naquelas cenas milagrosas em que o protagonista acaba caindo junto da heroína com a mão em lugares convenientes, agora ele também seria acusado de furto! Ou então, imagine para aqueles que já tem dificuldade em abrir o sutiã e de repente se deparam com um revólver calibre 32… Complicado…

A câmera do telespectador tomava uma vista panorâmica da sala de estar, acompanhando as duas de cima e dando um close da brecha da porta enquanto dava um foco especial no celular de Azumi, a comedora de cazadas. E devo admitir, pra colocar um aparelho tão caro com a confiança de que não vai sentir ele caindo ou sendo tirado de seu bolso, tem que ter muita potência no para-choque. Aliás, antes de sair de casa elas não deveriam ter tomado café da manhã? Tava todo mundo falando de comer algo ou alguém e saíram de estômago vazio.

***

A cena da escada era no mínimo… Interessante. Já afofou uma travesseiro antes? Talvez uma almofada? Bem, Hinata com suas costas fazia isso com dois. Quando terminavam as escadas ambas podiam notar uma das crianças do térreo olhando pras duas com estranheza, era um menininha descalça com regata, shorts e cabelo todo emaranhado, um pouco de ranho saía de seu nariz. - Vocês tão fazendo role-playing? - A perguntar dela vinha com toda a discriminação do mundo, nunca tinha visto adultos brincando daquele jeito.

***

Azumi pesquisava no mapa o local de destino: “HePeitos - 1.3 Km - Sex shop e…” N O… Nope! Pesquisa errada, por sorte o senhor Google pai de todo conhecimento já corrigia: “Você quis dizer: Hephaistos?” Sim sim, agora sim, 4.3 kilômetros, nada que dez minutinhos de metrô não resolvesse. Como de costume o vagão era apertado, cada pessoa em seu canto tentando não se incomodar com os outros e um hip hop muito bom tocava da caixinha de som de um grupinho de jovens mais no fundo do vagão. Às vezes a parada súbita fazia a weeb… Digo, a ninja se jogar pra cima de Solaire, mas nada que incomode eu imagino.

***

”Hephaistos - Forja e Arsenal”


O letreiro em si até que era bem sofisticado em comparação com a simplicidade da casa de tijolos, um pouco mais rústica lembrando as forjas medievais, possui uma chaminé com fumaça saindo constantemente, e a loja tinha o leve cheiro de metal com… Lavanda? Assim como Hinata esperava dentro da loja tinha uma ruiva peituda de cabelo curto e tapa olho enquanto outra funcionária era uma loli peituda vestida de empregada carregando caixas pra cima e pra baixo reclamando da vida.

Hepeitos e sua Assistente:
The Good, The Bad and... The... Reaper? 1daef8531beb46a7216bf77b62970dee

God dammit como ela descobriu? Seria a vida assim tão previsível? Bruxa! Queimem-a na forja! O chão era meio sujo de fuligem mas a loja no geral era bem arrumadinha, logo na estrada várias armas à mostra e empilhadas, e lá no fundo À mostra para todos os clientes, uma forja equipada com as melhores ferramentas e maquinário.

- Bem-vindos… - Dizia a aparente dona despreocupada sem dar muita atenção inicialmente, verificando alguns materiais novos que tinham acabado de chegar. - Oho! É raro virem caçadores de verdade aqui! - Ela demonstrava muito mais ânimo e atenção para as cliente, tinha uma um tom de voz um pouco mais grave e tranquilo, mas demonstrava ânimo na última fala. - Aqueles almofadinhas não sabem o que é bom! Garotinhas mimadas que só aceitam item do leilão, aqui é do bom e do melhor! Tudo forjado a mão. Um espadão você disse? - A ruiva saía do balcão e ia lá trás na forja um pouco escondida de vista.

*CLANK… CLACK… CLANK… - Era o som de metais batendo enquanto ela revirava as coisas, gritando lá do fundo.

- Essa daqui eu terminei semana passada! É uma obra prima! - Gritava empolgada enquanto a empregadinha fazia uma cara de deboche. A ruiva se aproximava trazendo uma espada enorme, pesada, tinha mais de dois metros, larga e muito bonita, uma leve camada de vapor gélido saía da lâmina, tão afiada que cortava só de olhar, parecia um picolézão.

*Slam!!!!

Jogava a espada em cima do balcão quase rachando a madeira, apesar de extremamente pesada a ferreira a empunhava com facilidade. - Essa daqui é perfeita, grande, balanceada, afiada e com propriedades mágica, é claro. Congela a cada corte, você nunca vai ter problemas com monstros! Isso! Essa daí tem INFLUÊNCIA, a loirinha pegou o espírito da coisa! - Era a arma perfeita! Dos sonhos! É só que… - Cinquenta mil Keks apenas! Faço um descontinho especial pras colegas caçadoras.

[...]

Claro que… É, acho que nem é necessário comentar a perda súbita de interesse com o orçamento estipulado pelas clientes. - Ah… trezentos, entendo… Hestia querida! - Ela chamava pela assistente que agora varria o chão sujo. - Mostre à elas as peças que deram errado. 80 Keks por cada. - E logo guardava o picolé, de volta ao desinteresse.

Hestia guiava ambas caçadoras até os fundos da loja, onde havia uma caixa de madeira com várias armas que deram “errado”. Não é que fossem ruins, mas muitas não possuíam magia alguma e as que possuíam traziam consigo algum defeito. Espadas retas, bastardas, katanas, facas… Tinha quase de tudo ali. Encostado do lado de fora da caixa tinha uma peça de metal absurda de dois metros e meio, era dura, com peso desbalanceado, a lâmina em comparação a outra parecia tão cega que talvez fosse mais efetivo usar de porrete… Mas hey! Pelo menos era melhor do que nada.

***

Raegar suava frio diante da imponente Amanda Dudley, talvez ela tenha exagerado um pouco? É, quem sabe, só percebia isso quando terminava de falar, notava o homem meio pálido, de respiração pesada, sua cara quaaaaaase tinha um pouquinho de remorso por aquilo.

- Hmmm, eu acho que exagerei um pouco, meus perdões. - Amanda se desculpava indo um pouco mais pra perto de Reager, de salto ela era maior até mesmo do que seus incríveis 1,90, com as mãos nas costas do homem meio que o guiando ela o levava até uma mesa. - É melhor sentar um pouco. - Amanda acomodava-se no outro lado sua roupa era um misto de armadura que terminava em um vestido, então quando ela sentava e cruzava as pernas, de seu calcanhar até aquele monumental par de coxas ficavam a mostra.

Aaaah aquelas pernas… Para os fãs mais assíduos da Guilda ou da caçadora em si, estes se lembraria de uma foto tirada em 2018 para a capa da revista veja edição 18 naquele ano, naquela mesma pose em um vestido mais galante e com as pernas ainda mais à mostra. “Amanda Dudley, a caçadora de um calor apaixonante.” Era essa a matéria? Bom faz tempo demais pra lembrar, com certeza umas informação inútil. Talvez algo com ela ter sido uma modelo ou atriz no passado.

Era o sinal de uma mão que ela fazia à qualquer um do bar e não demorava muito para que alguém trouxesse seu tablet e um copo d’água. O copo ela empurrava pela mesa para Reagar, enquanto na outra mão parecia ler algo importante no aparelho, o dia daquela mulher devia ser extremamente ocupado. - Aqui, beba uma água e vai te acalmar um pouco, não era minha intenção exagerar, só queria ter certeza. - Parando de olhar no aparelho e com o lábio quase fazendo um sorriso pela situação ela elogiava o caçador diretamente. - Mas devo admitir que você me surpreendeu em não ter caído de joelhos, pode não ser o mais forte fisicamente mas certamente tem muita força de vontade, devia se orgulhar disso. Quando se acalmar pode ir, ou deseja tratar algo mais na guilda?

Era meio previsível o que estava por vir, caçadores fracos vinham procurar a fama e fortuna da Bulldozers quase que diariamente. Mesmo assim Raegar fazia seu pedido, e Amanda permanecia em silêncio por uns instantes pensando em como responder. - Olha… O problema não é uma questão de força, a guilda é uma casa com lugar e trabalho para todos que contribuem com ela. Entretanto é preciso ter uma certa confiança e conhecimento do que você pode ou não fazer, ou não poderíamos lhe confiar aos trabalhos. E sinceramente… - Em seu tablet ela possuía os dados que a Associação possuía sobre Reagar. - Seu histórico não é dos melhores, sempre em perigo, sempre se machucando, e agora envolvido em um evento desses… Eu sinto muito.

Ela era fria e rápida, não tinha o por quê fazer arrodeios, Godheim aprendeu cedo na vida que “para se ordenhar uma vaca é necessário puxar suas tetas”. Mas com essa “vaca” em específico era melhor manter as mãos nos bolsos.

- Espere. - Amanda chamaria para quando Reagar estivesse para ir embora. Talvez fosse o remorso de ter que negar sujeitos quase todo dia, ou quem sabe ela simpatizava com o homem que salvou e poucos dias depois quase matou por engano. - Na verdade… - Ela coçava a nuca pensando em alguma coisa. - Ultimamente o Departamento de Caçadores vem obrigando as guildas maiores a limparem os portais de rank E e D, e com a chegada da Reunião do Hunter Boureau nosso efetivo ficou bem reduzido, é uma correria todo dia…

Ela mexia no tablet novamente, dessa vez entregando-o a Reagar e mostrando os dados de um portal um prédio empresarial próximo a Long Beach. Era um portal de Rank E entregue da associação para os Buldozzers. O prazo estipulado para uma Dungeon Break era de 3 dias. - Se você puder me fazer esse favor, reunir ao menos cinco caçadores e limpar essa dungeon pra mim, então eu terei algo para apresentar ao líder da guilda. - Amanda dava uma pausa breve, analisando a reação do caçador. - Bom se você decidir tentar e não souber por onde começar, pode tentar pedir ajuda à garota de óculos ali naquela mesa do canto, se convencê-la a lhe ajudar não deve ter muitos problemas.

Spoiler:
The Good, The Bad and... The... Reaper? 7d1cf8f5af3beb698f6e4ab510358cda

- Agora se me dá licença. - Dando as costas para Reagar, Amanda ia até o centro da boate se pronunciando aos caçadores. - Atenção! Já deu o tempo de preparo, equipe A comigo! Equipe B! Surgiu uma singularidade na Warner, façam a preparação inicial. Como está a equipe de coleta?

- Todos posicionados senhora.

- Ótimo, quero todos em movimento, essa semana vai ser cheia! - E a medida que Amanda ordenava os outros caçadores obedeciam, ela parecia ser a segunda em comando ou ao menos detinha muito respeito dos outros membros da guilda. Logo a boate se esvaziava, sobrando apenas poucos funcionários e algumas pessoas sentadas às mesas. E depois de toda aquela movimentação , para lembrar-lhe da conversa, uma janela do sistema aparecia para Reagar.

*Plim

Sistema escreveu:

Nova Quest


• Reúna (1/5) caçadores
• Complete a Dungeon designada por Amanda Dudley

| Aceitar | | Recusar |

Considerações:
Ali e Senshi gastaram 2 Keks cada com transporte público.

Marci: The Good, The Bad and... The... Reaper? 697505929184149575
DEV.Reme
DEV.Reme
1.000
Localização : Seul

MENSAGENS

Æther

DINHEIRO
Rank B


_________________



The Good, The Bad and... The... Reaper? TBO2FBd




Combate § Status - Hp: 3000/3000 - SP:240/240



O primeiro lugar do anuncio parecia bem interessante, na real eu teria vontade de até sugerir de passar lá mais tarde se isso não fosse vergonhoso pra caralho mas… Quem sabe, Dungeons podem despertar coisas novas nas pessoas, tivar uma coragem insana ou algo do tipo, eu ainda tava meio puta pela criança vindo meter uma de chamar a gente de otaku ou coisa do tipo, mas…. Foco Hinata, contas… É, dinheiro é necessário para não querer quebrar o dente de vizinho desgraçado.

No metro pelo menos eu gostava de como Azumi se apoiava em mim, era algo idiota pra caramba mas, os centimetros de diferença que me ajudavam a segurar na barra eram abençoados, dava uma sensação maneira tipo… Tu ser meio que o ponto de segurança… Sei lá, não sei explicar mas… Uma coisa que havia surpreendido certamente foi quando chegamos no lugar. E…. CARALHO eu estava certa?Quero dizer, é claro que eu estava certa! Como pude ter dúvida da minha grande capacidade para adivinhar  sobre encontros aleatórios? No fim, aqueles animes até davam umas dicas maneiras, Azumi tinha razão nisso provavelmente.

Com esse pensamento em mente, talvez ainda impressionada por ter sido a última coisa que eu li, enquanto eu olhava aquela espada maravilhosa  eu só pensava que se tivesse um cara de cabelo branco ali, eu ja falaria pra ele ficar na dele que sacrifício é o soco que eu vou dar na cara dele se ele vier de graça. Mas uma coisa eu tinha que admitir, porra… Como eu queria ter dinheiro aquela espada era tão bonita quanto… Sei lá, quanto alguma coisa bonita, olharia pro lado e só pensaria… Ok, não é pra tanto pra comparar mas… Gelinho… Eu queria de verdade… Suspirava, enquanto vendo que provavelmente havia um desejo similar ao meu lado eu teria dito - Quando a situação melhorar, eu vou fazer uma ainda melhor que essa ai.- teria falado da espada, não desdenhando da ruiva bonitona que… Caraca viu, que vista que era de costas.


 

Era o meu jeito de a animar mas, também de me animar porque… Gelinho… Eu queria mesmo… Mas, positividade, não vai ser uma simples loja que vai me superar, com uma determinação hercúlea eu travei um grande objetivo na cabeça, faria uma arma tão superior a aquela para Azumi que ela nunca mais olharia para arma de outro ferreiro com inveja… Pow, desafio digno de um shounen não é? Eu pensava enquanto caminhava me auto-afirmando mentalmente.

Lá teriam armas de qualidade bem discutível mas.. Teria uma arma que logo teria chamado a minha atenção, era bruta, pesada pouco equilibrada, o fio não era dos melhores mas, se  a milf vendesse umas pedras de amolar, era capaz de eu ajeitar isso por conta, ou pelo menos melhorar a situação. Pegaria em seu cabo e sentiria o peso com apenas uma das mãos, logo a descansando sobre as costas em uma postura bem fodona. - Vai essa mesmo… Hestia né? Tem uma pedra de amolar pra eu dar uma corrigida nesse fio zoado no caminho não? Se tiver, vou levar também.- Eu estava muito animada para usar da espada mas, também olhava para o que a minha kunoichi tava lá olhando e pow… Realmente Hepeitos trabalha com mais carinho em espadas pequenas que nas maiores, que desperdício… Ainda assim, armas menores combinavam com o visual da Azumi então… Era satisfatório de algum jeito. Querendo ou não mesmo pagando,  ao retirar  e contar o dinheiro que eu usaria ali pra pagar também, dava um aperto no peito pensando que… Realmente precisavamos de mais dinheiro.


- Eu curti, vai ser divertido, vamos lá? Na real eu nem sabia muito pra onde ir, mas vendo que Azumi estava em transe, eu só teria na verdade abaixado a minha postura, ficando a frente dela,  com uma das mãos no queixo, enquanto a espada estava apoiada nas costas, segurada por outra, em uma posição bem maloqueira mesmo, tanto aproveitando a vista, quando esperando quanto tempo ela demoraria dessa vez pra sair do transe… Era uma aposta mental que as vezes era divertida de fazer. Até que quando ela ajeitou e me deu um sorriso, eu só ergueria a minha postura, com cuidado para não esbarrar em nada, cara que sorriso forte, ta doido, já deu até aquela acelerada no peito, cof… Bem, era maneiro que ela perguntava sobre o uso da forja, poderia ser util no futuro. Mas minha indignação viria quando ela falava Hephaistos, ainda não havia me caido a ficha de que o nome era aquele. - ehhhhhhhh, é Hephaistos o nome? Porquê você não me corrigiu antes? E  se eu chamo a mulher de Hepeitos?- Eu expressava em uma  indignação plena e claramente super audível.

Eu teria ssuspirado e passado a mão por detrás do pescoço da morena  a colocando pra perto - Só não te  dou uma por essa porque…  Foi engraçado imaginar a reação dela mas pow… Eu realmente achei que era o nome da tia mesmo, tu viu o tamanho da influência dela?- Teria dito a soltando, sempre tomando cuidado pra não machucar ela, dado o espadão que eu tava comigo e tal, claro isso acompanhando onde quer que ela tivesse, sem pudor algum. Sua reação no entanto? Me teria feito pensar em coisas super erradas… Na real vai tomar no cu, eram certas pra caralho, eu só não podia fazer elas… Ainda, onde com um rubor eu teria respondido quase que como um pensar alto Mas pow, te falar que eu prefiro muito mais sua influência, é muito melhor e mais efetiva- E quando eu notasse a merda que eu tinha falado só diria- Esquece por favor, faz essa por mim.- Teria dito colocando a mão livre na frente do rosto.  


Era um dia bem divertido apesar de uns pontos meio estressantes o convite de Azumi me vinha de forma agradável, não da pra sustentar tudo isso aqui sem comer… - Bora, mas eu pago dessa vez, sem discussão.- Era o meu jeito até fazendo bico, de retribuir o convite, porque realmente parecia muito legal e claro se ela esquecesse do que eu tinha falado, era algo vital para a minha dignidade… Se é que eu ja tive alguma mas… Foda-se, comer com ela ia ser legal, ja imaginou a reação das pessoas me vendo chegar com esse trambolho? Massa pra caralho Kyahahahahahah.  Lá , quando chegasse no local para comer, ia tentar me sentar de frente com ela, seria bem legal.
   


Histórico:

Posts: 03
Ganhos

  • Espadão que eu procuro quando tiver net uma imagem legal



Perdas:

  • 2 Keks ( metro)
  • 80 keks espadão

Ferimentos:






Alipheese
Alipheese
G$ 1,000

MENSAGENS

Æther

DINHEIRO
Rank B


_________________

The Good, The Bad and... The... Reaper? >

Página 1 de 4 1, 2, 3, 4  Seguinte

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Layout desenvolvido por Roevs, Remenuf e Mizzu
SOLO LEVELING RPG (2018 - 2020)